Alunos

MODERNIZAÇÃO DE EDIFICAÇÕES TOMBADAS: O CASO DO EDIFÍCIO IRB.

ANA PAULA DA CONCEICAO ESTEVES

 

Data da Defesa: 20/12/2010

 

 

Orientador:LOUISE LAND BITTENCOURT LOMARDO

 

 

Resumo:

A presente dissertação apresenta o estudo de caso sobre as intervenções realizadas no edifício sede do IRB-Brasil-Re – Instituto de Resseguros do Brasil, ícone da arquitetura modernista brasileira, provisoriamente tombado pela Prefeitura do Rio de Janeiro e em processo de tombamento das fachadas pelo IPHAN. Esta edificação passou por um processo de restauração das suas fachadas, que somadas à renovação predial ocorrida internamente, ainda em andamento, se apresentam como uma oportunidade de aprofundamento na discussão sobre os conflitos entre a modernização de uma edificação e as premissas da preservação do monumento histórico tombado. Visando propor novas soluções para melhorias da eficiência energética da edificação e do conforto ambiental, a pesquisa apresenta a avaliação e análise do desempenho térmico e acústico das fachadas, e das relações do aproveitamento da iluminação natural com o projeto de iluminação artificial atual. Estes estudos compararam o projeto original, o projeto vigente as propostas realizadas nesta pesquisa. Para a determinação de eficiência térmica dos sistemas de fachadas e da eficiência energética do sistema de iluminação mencionados, foi utilizado como ferramenta de avaliação o RTQ-C (Regulamento Técnico da Qualidade Requisitos Técnicos da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos), por ser o mais novo sistema de classificação do desempenho energético para edifícios de escritórios. Para que fossem propostas novas soluções que pudessem contribuir para maximizar o desempenho energético e ambiental do objeto de estudo, a pesquisa buscou referenciais de restaurações ocorridas na Europa, como o LycéeChevrollier em Angers (França), e o ADGB Trade Union em Berlim (Alemanha), onde recursos e materiais adotados poderiam inspirar, quando realizadas as devidas adaptações às condições climáticas locais, novas soluções técnicas a serem adotadas no Brasil. Além desta visão internacional, a dissertação apresenta um panorama da preservação do patrimônio arquitetônico modernista brasileiro e desta forma ampliase o diálogo entre as teorias de preservação de monumentos arquitetônicos e as técnicas que proporcionam melhor desempenho à edificação.

 

Palavras-chave:1. Modernização [de edificações]; 2. Tombamento [Arquitetônico];

 

 

A CONFIGURAÇÃO URBANA DA CIDADE DE SANTO ÂNGELO A PARTIR DO POVOADO JESUÍTICO-GUARANI DESANTO ÂNGELO CUSTÓDIO RS –BRASIL

VERA LUCIA ERTHAL ROCHA

 

Data da Defesa:16/12/2010

 

Orientador: JOSE SIMOES DE BELMONT PESSOA

 

Resumo:

A presente dissertação tem por finalidade apresentar o estudo elaborado sobre a Configuração Urbana da Cidade de Santo Ângelo a partir do Povoado Jesuítico-Guarani de Santo Ângelo Custódio –RS –Brasil, a última redução dos Sete Povos das Missões, fundadapelos jesuítas em 1707. Situado na região noroeste do Estado do Rio Grande Sul, o território foi marcado por constantes conflitos, entre Portugal e Espanha, na disputa pela fronteira. Durante o período em que os jesuítas ali permaneceram (1626-1768), muitos fatos históricos marcantes aconteceram de forma transformadora na vida cotidiana dos grupos indígenas que habitavam a região. Entre 1610 a 1640 são fundadas aproximadamente 40 Reduções Jesuíticas pelas regiões do Itatim, Guaíra, Tape. Atacadas por bandeirantes paulistas, muitos povoados foram destruídos ou transplantados para outros locais. As reduções tinham como objetivo o guarnecimento das fronteiras, além da evangelização e exploração territorial da América. Em sua implantação física, as missões apresentavam uma significativa uniformidade e o elemento centralizadorda vida urbana era uma grande praça quadrada e no seu eixo ficava a construção mais imponente do conjunto: a igreja. Alguns desses povoados, documentados em plantas históricas, foram palco do surgimento de atuais cidades. Nesse contexto, estudamos a reconstituição e análise do traçado urbano da Redução de Santo Ângelo Custódio e sua correlação com a atual trama urbana central da cidade, através de sua morfologia.

Palavras-chave:Arqueologia –Missões Jesuíticas –História Urbana –Santo Ângelo Custódio.

 

DIRETRIZES PARA UM MODELO DE GERENCIAMENTO DO PROCESSO DO PROJETO EM EDIFICAÇÕES SUSTENTÁVEIS

PAULA DE CASTRO BRASIL

 

Data da Defesa:15/12/2010

 

Orientador: SERGIO LEUSIN

 

 

Resumo:

O setor da construção civil é um dos grandes responsáveis pela geração de impactos negativos ao meio ambiente. A construção de uma edificação, inevitavelmente, causa algum impacto no eco-sistema em que está inserido, ocasionando gastos de energia e de recursos naturais. No Brasil, já é possível perceber algumas atitudes na busca de uma arquitetura mais sustentável. Por outro lado, nas referências bibliográficas estudas não foi encontrado um modelo de processo de projetoespecífico para edificações sustentáveis. Os projetos com conceitos de sustentabilidade, já executados, têm utilizado os mesmos métodos de gerenciamento desenvolvidos para a arquitetura convencional, o que possivelmente dificulta a adoção de critérios de sustentabilidade ao longo do processo do projeto, comprometendo assim o produto final quanto ao grau de sustentabilidade da edificação. Neste trabalho propõe-se uma reflexão sobre possíveis adequações e diretrizes de sustentabilidade aplicadas ao processo de projeto de edificações públicas, a fim de obter melhores resultados nas avaliações quanto à efetividade da sustentabilidade nas construções. Conceitos de sustentabilidade e processo de projeto são apresentados e analisados, explicitando à importância do processo de projeto para o desenvolvimento de edificações sustentáveis. É realizada uma análise de um dos modelos de certificação, sendo esse o AQUA, por ser o único referencial técnico decertificação adaptado para o Brasil. É realizado também um estudo de caso do processo de projeto do museu de ciência Casa da Descoberta por ser uma edificação pública que adotou critérios sustentabilidade como premissas para o desenvolvimento do projeto. A partir da análise da certificação AQUA e do estudo de caso foram levantados padrões de sustentabilidade a serem aplicados ao longo das etapas do processo de projeto. Como resultado, foram obtidas diretrizes para um modelo gerenciamento de processo de projeto específico para edificações públicas sustentáveis.

 

Palavras-chave:Gestão de projetos, processo de projeto, empreendimentos sustentáveis, desenvolvimento sustentável,

 

REITORIA DA UFF: MARCO ARQUITETÔNICO E URBANO DA CIDADE DE NITERÓI

SILVANA VALENTE DOS SANTOS

 

Data da Defesa:07/12/2010

 

Orientador: JOSE SIMOES DE BELMONT PESSOA

 

Resumo:

Esta dissertação propõe fazer uma leitura do Prédiodo antigo Cassino Icaraí, hoje Reitoria da Universidade Federal Fluminense, como Marco Arquitetônico e Urbano da Cidade de Niterói, onde pesquisamos sobrea história do prédio durante a sua construção (1939) e também durante as suas diferentes utilizações, desde cassino, passando pelo período da proibição do jogo(1946) quando se tornou o hotel restaurante, até o momento em que o prédio foi desapropriado pelo Governo Federal (1963) chegando às mãos da Universidade Federal Fluminense – UFF (1967), tornando-se a reitoria da UFF, e mais tardecom o tombamento do prédio pela Prefeitura Municipal de Niterói em 1994, justificado pelo valor cultural do conjunto constituído pela edificação principal, seujardim e a mata da sua encosta, concluímos esse histórico. Foi pesquisado e discutido o momento histórico e político de concepção do prédio, seu apogeu e declínio. Reconhecendo e retratando alguns personagens e fatos principais da época dos cassinos, décadas de 1930 a 1940, até a proibição do jogo no Brasil, analisamos esse momento com uma breve história do personagem principal, o Sr. Joaquim Rolla, responsável pela idealização da maioria dos cassinos desta época no Brasil, inclusive do Cassino Icaraí. Citaremos alguns destes cassinos, com suas semelhanças e diferenças.Analisaremos com mais detalhe os estilos arte decô e moderno do prédio emestudo, descrevendo as características marcantes de cada um desses estilos, apresentada nos detalhes do próprio prédio. Falaremos também do autor do projeto do Cassino Icaraí, o arquiteto Luiz Fossati, pesquisando sua vida pessoal, desde seu nascimento, sua formação profissional na Itália, sua família e sua vida profissional com seus projetos e obras depois que chegou ao Brasil, na década de 20, as cidades por onde passou até sua morte, na década de 70, em Petrópolis. E não poderemos deixar de relatar a história da Universidade Federal Fluminense, desde sua origem até sua maturidade, incluindo a trajetória da sua reitoria dentro da universidade, para ressaltarmos a importância, até os dias de hoje, do prédio do antigo cassino além de ser o símbolo administrativo da UFF enquanto sua reitoria, representando, também, para a cidade de Niterói, um centro cultural importante e muito participativo na vida dos niteroienses. E assim o trabalho desenvolvido pretendeu contribuir para o aprofundamento dos conhecimentos sobre a história do prédio ampliando a divulgação desse conhecimento e confirmando com o apoio das duas analogias aqui utilizadas, as três escalas e dos dois icônicos, que o prédio continua sendo um marco arquitetônico e urbano da cidade de Niterói.

Palavras-chave:Reitoria UFF/ Hotel Balneário Cassino Icaraí; Cassinos; Joaquim Rolla; arte decô / Moderno; Luiz Fossati

 

O ESPAÇO UNIVERSITARIO NO CAMPUS DA PRAIA VERMELHA DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE – UFF: TEMPORALIDADES E PADRÕES ARQUITETÔNICOS E URBANISTICOS

DENISE MARIA MONTEIRO

 

Data da Defesa:18/11/2010

 

Orientador:MARLICE NAZARETH SOARES DE AZEVEDO

 

Resumo:

Esta Dissertação tem como foco o Espaço Universitário do Campus da Praia Vermelha da Universidade Federal Fluminense – UFF, tomando como referência os projetos arquitetônicos e urbanísticos de sua organização espacial e a sua adequação física às necessidades de seus usuários. O estudo envolve contextos históricos, políticos, institucionais, sócio-econômicos e passa por aspectos espaciais, territoriais, arquitetônicos e urbanísticos. A pesquisa busca conhecer o que foi planejado e construído nesse Campus que apresenta aspectos de diversidade em suas tipologias arquitetônicas e diferentes temporalidades nas suas edificações. Observam-se nele a convivência e o contraste entre o passado e o presente com suas edificações seculares e os novos prédios construídos com características modernistas. O estudo tem como fundamentação teórico-metodológica, os principais conceitos definidos pelo arquiteto Christopher Alexander que defende uma abordagem para o projeto construtivo focado nas interações entre a forma física das construções e a maneira como essa forma tem impacto nos comportamentos pessoal e social do indivíduo. Tendo como parâmetro a linguagem de Padrões, desenvolvida por Christopher Alexander, são analisados alguns procedimentos na construção do Campus da Praia Vermelha com o propósito de identificar possíveis conflitos, conhecer as expectativas dos usuários e proceder a uma avaliação comparativa. É apresentada, ao final, nos diversos contextos do espaço universitário do Campus, uma aplicação prática da teoria dos padrões alexandrianos. Espera-se que o presente estudo traga subsídios aos gestores e aos técnicos responsáveis pela manutenção e expansão do Campus, contribuindo para amenizar distorções detectadas no espaço físico do Campus da Praia Vermelha da Universidade Federal Fluminense.

Palavras-chave:Espaço Universitário, Campus da Praia Vermelha, Universidade, Modernismo, Linguagem dos Padrões.

 

 

POSSIBILIDADES E PERSPECTIVAS DE UM ESPAÇO EM TRANSIÇÃO: A ÁREAPORTUÁRIA DE NITERÓI E OS VAZIOS URBANOS.

MILENA SAMPAIO DA COSTA

 

Data da Defesa: 04/10/2010

 

 

Orientador:MARLICE NAZARETH SOARES DE AZEVEDO

 

 

Resumo:

O presente trabalho propôs-se a pensar a área portuária da cidade de Niterói, constituída como tal no final da década de 1920, a partir de uma importante e emblemática obra pública de intervenção urbana, a construção do Aterrado São Lourenço e do Porto. O Aterrado, destinado inicialmente para sediar instituições e indústrias às margens do Porto, dando status à capital do estado do Rio de Janeiro, foi ocupado por alguns poucos edifícios públicos que não lhe conferiram o caráter desejado. Ao longo do tempo, e com a perda da função de capital do Estado, transferida para a cidade do Rio de Janeiro em 1975, alguns desses edifícios, em sua maioria estadual, foram abandonados ou tiveram seus usos substituídos, transformando-se quase todos em depósitos. Durante muito tempo, a área se manteve esquecida pelo poder público, que não a incluía em seus projetos urbanos para a cidade. Após a construção do Porto, somente na década de 1970 outro projeto de grande dimensão volta as atenções do poder público para a área: a construção da Ponte Rio-Niterói. O projeto, no entanto, não trouxe muitos benefícios para área, que teve seu traçado desfragmentado em função da instalação da cabeceira da ponte. Do ponto de vista espacial, o Aterrado teve importante significado no traçado da cidade, como um novo elemento de ligação interurbana, conectando diferentes bairros. No entanto, a ocupação por depósitos, quartéis e oficinas caracterizou sua incipiente e desordenada ocupação. O trabalho buscou analisar os processos que configuraram por muito tempo a estagnação da área portuária e que hoje, como resultado de um novo dinamismo pelo qual passa a cidade, incentivam sua transformação. Teve-se como hipótese a idéia de que questões como o projeto original, que previu uma ocupação incipiente por edifícios públicos; a situação fundiária, cuja maioria dos lotes é público; e a estrutura viária do Aterrado São Lourenço, que não se integrou ao traçado reticulado do restante da sub-região central da cidade, induziram a má utilização do espaço, contribuindo por vezes para a formação de vazios urbanos.

 

Palavras-chave:Área portuária; Niterói; Planejamento urbano; Vazio urbano; Espaço urbano.

 

 

COMPOSIÇÕES CARIOCAS: Músicas e Letras que cantam e contam a cidade do Rio de Janeiro e seu Espaço Urbano(1900 a 1960).

MICHELLE ALMEIDA FERNANDES

 

Data da Defesa:22/09/2010

 

Orientador: FERNANDA ESTER SANCHEZ GARCIA

 

Resumo:

Esta dissertação objetiva estudar o processo de produção do espaço urbano carioca, a sua ordem urbana e através da interpretação das letras de música produzidas nos períodos analisadas, desvendar algumas das práticas sociais ocorridas na cidade do Rio de Janeiro no período de 1900 a 1960. Pretende-se através das letras de músicas penetrar no universo das práticas espaciais e apropriações do espaço urbano por vezes esquecidas durante a caminhada da cidade rumo a modernização Utilizando letras de músicas que façam referência aos fatos ocorridos na cidade do Rio de Janeiro ou a sua ordem urbana – sendo tais músicas sempre contemporâneas aos fatos –, pretende-se destacar este tipo de registro como importante para o entendimento e análise das mudanças pelas quais passou a cidade do Rio de Janeiro durante o período objeto de estudo.

Palavras-chave:

 

A FORMAÇÃO DE NÚCLEOS URBANOS INDUSTRIAIS NA BAIXADA FLUMINENSE: os casos da fábrica de pólvora da Estrela e da fábrica de tecidos Santo Aleixo

ROSANE LOPES DOS SANTOS

 

Data da Defesa:13/09/2010

 

Orientador: NIREU OLIVEIRA CAVALCANTI

 

 

Resumo:

Essa dissertação faz um estudo sobre os núcleos urbanos formados no entorno das fábricas de tecidos Santos Aleixo e de pólvora da Estrela. Perfazendo a história da industrialização na Província do Rio de Janeiro desde o alvará de 1785 que proibiu o funcionamento de fábricas no Brasil. E o novo momento após a chegada da corte e a fundação de diversos estabelecimentos como a fábrica de pólvora da Lagoa. Traz um panorama do processo de transferência da fábrica de pólvora para Magé, bem como de implantação da fábrica de tecidos Santo Aleixo. E de outros fatores que interferiram no processo de ocupação da região estudada, como a chegada da ferrovia e asobras de construção da nova estrada para Minas que fez uso de mão-de-obra estrangeira. Por último, se faz um estudo da mão-de-obra utilizada nas duas fábricas e sua interferência na ocupação do território, com a associação de moradia e trabalho que serviu de pontapé para efetiva ocupação da região e deu origem aos atuais núcleos urbanos

 

Palavras-chave:Industrialização. Século XIX. Núcleos urbanos. Baixada Fluminense. Município de Magé – RJ

 

O CENTRO TRADICIONAL DE JUIZ DE FORA FACE ÀSNOVAS CENTRALIDADES

RAQUEL VON RANDOW PORTES

 

Data da Defesa:08/09/2010

 

Orientador: MARLICE NAZARETH SOARES DE AZEVEDO

 

Resumo:

O estudo aborda a atualidade do centro histórico da cidadede Juiz de Fora, Minas Gerais, face ao processo de expansão da cidade e à configuração de novas centralidades. Por “centro tradicional” nos referimos ao hipercentro da cidade, onde se insere o núcleo que deu origem à urbe, caracterizado pelo triângulo formado pelas vias avenida Barão do Rio Branco, avenida Getúlio Vargas e avenida Independência. O enfoque do trabalho incide sobre a formação do centro tradicional e as repercussões geradas no mesmo, na atualidade, pelo surgimento de novas centralidades. Estas se apresentam como tendências reveladas na própria dinâmica de transformações da cidade. Para tal enfoque recorremos às teorias relacionadas às áreas centrais e às novas formas de ocupação do território derivadas da expansão da cidade. Também recorremos à compreensão da especificidade da temática das cidades médias face a estes processos, particularmente no caso de Minas Gerais, relacionada com a realidade de Juiz de Fora. No seguimento, abordamos o processo de formação e a ocupação do centro urbano de Juiz de Fora, assim como a dinâmica atual da cidade. Por fim foi feita uma análise do processo de descentralização de Juiz de Fora, além da caracterização das novas centralidades, em particular aquelas situadas no vetor Sul de expansão. Apresentando enormevitalidade e dinamismo, em contraposição ao processo de degradação ocorrido nos grandes centros e em algumas cidades médias, o centro tradicional da cidade de Juiz de Fora traduz ainda a imagem da própria cidade. Este, composto por uma multiplicidade de usos, de sobreposições e testemunhos da história da cidade, apresenta-se como referência essencial para a formação da sua identidade cultural.

Palavras-chave:Juiz de Fora, centro tradicional, novas centralidades

 

O USO E A OCUPAÇÃO DO ESPAÇO NA VILA DO ABRAÃO –ILHA GRANDE, RJ: UMA ABORDAGEM SOBRE ODESENVOLVIMENTO DO TURISMO, A URBANIZAÇÃO E OSINSTRUMENTOS LEGAIS

ANA FLAVIA OLIVEIRA PECCATIELLO

 

Data da Defesa:08/09/2010

 

Orientador:WERTHER HOLZER

 

Resumo:

As atividades produtivas geradas a partir das práticas turísticas têm sido apontadas no mundo inteiro como possibilidades de dinamização das economias nacionais e locais. Embora essa idéia seja bastante difundida e seja comum ouvirmos falar nas potencialidades do turismo para gerar emprego, distribuir renda e melhorar a qualidade de vida das populações locais, em muitos espaços da produção e do consumo turístico verifica-se o contrário: segregação socioespacial, concentração de renda e outros impactos socioambientais indesejáveis. A Vila do Abraão, localizada na Ilha Grande/RJ, é o retrato da produção desordenada do espaço turístico, a qual mesmo protegida por leis em âmbito nacional, estadual e municipal que determinam a organização do uso e ocupação do solo, sofre com a especulação imobiliária, desmatamento, lixo, poluição das águas e adensamento urbano. Neste sentido tem-se a hipótese de que os impactos negativos provocados pelo crescimento desordenado do turismo na Vila do Abraão são intensificados pela falta de articulação institucional e de ações coordenadas da gestão pública configurando um cenário de contínua degradação ambiental. Assim, o trabalho tem como objetivo analisar os principais instrumentos legais de gestão urbana e ambiental, propostas pelos gestores municipais e estaduais para a Vila do Abraão no período de 1994 a 2008 e suas influências na intensificação da degradação ambiental local.

Palavras-chave:Adequação ambiental, impactos do turismo, legislação

 

 

UM OLHAR SOBRE AS DIFERENTES PERCEPÇÕES DOS PARTICIPANTES DA SOCIEDADE CIVIL NA PRODUÇÃO DO PLANO DIRETOR DE VOLTA REDONDA

THAIS HELENA LOPES DE SOUZA ROSSATO

 

Data da Defesa: 09/06/2010

 

 

Orientador:WERTHER HOLZER

 

 

Resumo:

A cidade de Volta Redonda apresenta em sua história uma série de momentos vinculados ao desenvolvimento do planejamento e da gestão urbanos que vigoraram desde a concepção da cidade, na década de 1940, para abarcar uma industrial siderúrgica de abrangência nacional, símbolo da modernidade e do progresso. No entanto, ao longo desse processo o acesso aos equipamentos urbanos, muitas vezes ficaram restritos a uma determinada parcela da população e a uma determinada porção do território da cidade. A fim de repensar à questão urbana, o governo, na década de 1970 cria o PEDI -VR, Plano Estratégico de Desenvolvimento Integrado como o intuito de minimizar os problemas da cidade, entretanto, esse plano foi criado de maneira tecnocrática e centralizadora. Apenas em 2006, iniciou-se um processo de produção do Plano Diretor Participativo – PDP, aprovado em agosto de 2008, alicerçado nos ideais da Lei 10.257/01 que regulamenta o capítulo de política urbana (artigos 182 e 183) da Constituição Federal de 1988 (ESTATUTO DA CIDADE, 2001). Foi com o intuito de analisar a construção e a concepção do PDP-VR que essa dissertação se desenvolveu. A pesquisa analisou as questões referentes ao planejamento urbano, a partir de um estudo de caso, com o intuito de refletir acerca do processo de produção do Plano, identificando as diferentes percepções e leituras da cidade a partir dos segmentos e representantes da sociedade civil, mapeando e analisando as mesmas. Além disso, pretendeu-se diagnosticar o processo de participação desenvolvido e, por fim, identificou-se se essa participação foi incorporada a Lei municipal 4.441/08, conhecida como Plano Diretor Participativo de Volta Redonda.

 

Palavras-chave:Plano Diretor Participativo, percepção, participação, planejamento e gestão urbanos.

 

 

MORTE E VIDA DOS ESPAÇOS PÚBLICOS DE SOCIABILIDADE: OS HORTOMERCADOS COBAL DO MÉIER E HUMAITÁ – RIO DE JANEIRO.

RICARDO FERREIRA LOPES

 

Data da Defesa:28/05/2010

 

Orientador: LELIA DE VASCONCELLOS

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

Reinserção de vazios urbanos: Diretrizes para a politica urbana municipal em cidades médias e sua aplicação em Juiz de Fora/MG

TATIANA LEAL ANDRADE E TEIXEIRA

 

Data da Defesa:06/05/2010

 

Orientador: FERNANDA FURTADO DE OLIVEIRA E SILVA

 

 

Resumo:

Produto da cidade contemporânea e objeto relevante do quadro urbanístico brasileiro, a noção de vazio urbano vem assumindo ao longo do tempo alterações conceituais sobre seu papel no processo de desenvolvimento das cidades e da sociedade. Ao serem diretamente associados tanto ao processo de esvaziamento das áreas centrais como à retenção especulativa de terras ociosas, eles deixam de caracterizar espaços livres, áreas de respiro e estoques de reservas para configurarem problema social com dimensões economicas advindas, principalmente, da demanda por habitação em áreas já infraestruturadas. Através de uma análise articulada entre as diferentes categorias de vazios identificados no município de Juiz de Fora e a utilização, exclusiva ou conjunta, de instrumentos urbanísticos capazes de reinseri-los na dinâmica urbana, propõe-se uma sistematização de diretrizes de politica urbana municipal voltadas para a coletividade e capazes de devolver à dinamica da cidade os espaços ociosos.

 

Palavras-chave: vazios urbanos, estatuto da cidade, instrumentos de intervenção urbana, Juiz de Fora.

 

O resgate das vilas residenciais em Jacarepaguá Jacarepaguá, Rio de Janeiro , Rio de Janeiro , Rio de Janeiro – o caso do bairro Taquara do bairro Taquara

SONIA GOMES WAGNER

 

Data da Defesa:31/03/2010

 

Orientador: MARIA LAÍS PEREIRA DA SILVA

 

Resumo:

O estudo partiu da hipótese de uma retomada em novos empreendimentos, em especial em Jacarepaguá, de um modelo construtivo tradicional: a vila residencial, nos moldes das antigas vilas operárias. Tem como objetivos comprovar este fenômeno, além de identificar suas possíveis causas, as principais diferenças entre as vilas originais e as atuais e o perfil de seus moradores. Como resultado, espera-se possibilitar uma contribuição à atualização dos estudos neste campo. A área escolhida para estudo, Jacarepaguá, tem comouma de suas características ser uma área de expansão da cidade apesar de ter ocupação antiga. Para possibilitar maior detalhamento de informações e por ser característico dos fenômenos estudados, será focalizado somente um dosseus bairros, a Taquara. Outro aspecto a ser abordado nesta dissertação é a investigação sobre fatores que podem estar motivando o recente interesse do mercado imobiliário em investir neste tipo de empreendimento na área, lembrando que este é fortemente estimulado pelo índice de aceitação do público-alvo. Algumas hipóteses consideradas preliminarmente apontam para: a possibilidade de aproveitamento quase total do terreno; o barateamento dos custos de construção, uma vez que neste modelo as casas são geminadas; e o baixo custo, que pode permitir ao comprador adquirir uma casa pelo preço de um apartamento na mesma região. A grande quantidade de terrenos livres ainda existentes no bairro também parece contribuir fortemente para a disseminação das novas vilas. O trabalho divide-se em três momentos: primeiramente, será apresentado um histórico das vilas na cidade, seguido da caracterização da RA de Jacarepaguá, e por último oestudo do bairro Taquara, suas características, suas vilas residenciais e os fatores envolvidos na preferência dos moradores pela casa de vila.

Palavras-chave:Arquitetura das vilas residenciais,Jacarepaguá, vilas residenciais do bairro da Taquara, mercado imobiliário.

 

Intervenção em Áreas Centrais: um estudo comparativo sobregestão e produção do urbano brasileiro contemporâneo

ALVARO MAURICIO PILARES VERA

 

Data da Defesa:30/03/2010

 

Orientador:GLAUCO BIENENSTEIN

 

Resumo:

COMPETITIVIDADE E METRÓPOLE: Estudo Comparativo sobre Gestão e Produção do Urbano Brasileiro Contemporâneo”, cujo principal objetivo é identificar possíveis convergências e/ou similaridades na concepção, administração e execução de intervenções urbanas em áreas centrais empreendidas por diferentes orientações político-partidárias, frente aos imperativos do que vulgarmente tem sido denominado de fenômeno da globalização nas metrópoles brasileiras. Nesse sentido, este trabalho de dissertação pretende analisar e comparar duas experiências sobre projetos de intervenção em áreas centrais; o Projeto do Corredor Cultural do Rio de Janeiro durante as administrações de César Maia (PMDB, PTB e atualmente pelo DEM) (períodos 1993-1996 e 2001-2004) e Luiz Paulo Conde (DEM 1997 a 2000) e o Programa Viva o Centro, durante a administração de Tarso Genro (PT), Raul Pont (PT) e João Verle (PT) (períodos 1993-1996, 1997-2001 e 2001-2004) na cidade de Porto Alegre. Avalia-se que tais projetos, a despeito de pertencerem a administrações de orientações político-partidárias distintas, além de se constituírem verdadeiros símbolos e/ou marcas de governo das administrações estudadas, apresentam um razoável grau de convergência, notadamente através da sua relação/articulação. Far-se-á uma matriz comparativa através de três dimensões de analise: política, simbólica e arquitetônico urbanística.

 

Palavras-chave:I) Competitividade; (II) Gestão; (III) Globalização; (IV) Metrópole; (V) Intervenção em áreas centrais.

 

 

ÁREAS VERDES PÚBLICAS URBANAS EM JUIZ DE FORA/MG: UMA AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DO PLANEJAMENTO URBANO

RAQUEL FERNANDES REZENDE

 

Data da Defesa: 02/03/2010

 

 

Orientador:Vera Lúcia Ferreira Motta Rezende

 

Resumo:

A proposta voltou-se para à discussão relacionada às complexidades na configuração, ocupação e gestão do espaço, em especial, as questões atreladas ao planejamento urbano e sua relação com implantação, manutenção e fiscalização das áreas verdes públicas urbanas, com foco na existência ou não de praças, parques e jardins, em dezenove Regiões Urbanas (RUs) do município de Juiz de Fora, localizado na Zona da Mata do estado de Minas Gerais, com aproximadamente 513.000 habitantes (IBGE, 2000). Neste sentido, foram estabelecidas comparações entre as diferentes RUs da área de estudo, entre os anos de 1986 a 2004. Cabe ressaltar, que o recorte temporal adotado neste trabalho envolve marcos relevantes relacionados ao ordenamento do território urbano, especialmente, o parcelamento, o uso e a ocupação do solo. Assim, o ano de 1986 pode ser caracterizado como um momento importante para o município no que se refere à elaboração de normas relacionadas à regulação do uso e ocupação do solo urbano. No referido ano foram elaboradas as Leis: Nº 6908 de 31 de Maio de 1986 que dispunha sobre o parcelamento do solo; Nº 6910 (do mesmo ano) que tratavam do ordenamento do uso e ocupação do solo. Enquanto no ano de 2004, outro ponto importante das discussões relacionadas com o cenário urbano local era desenvolvido, a saber, quando foi finalizado o processo de elaboração da última versão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Juiz de Fora. Cabe salientar, que ao longo do recorte temporal delimitado foi realizada a avaliação se as ações voltadas para o planejamento urbano em Juiz de Fora foram capazes ou não de garantir a suficiência dessas áreas verdes públicas urbanas diante das necessidades da população da cidade. Neste contexto, no período de 1986 a 2004 buscamos identificar como as propostas relacionadas ao planejamento urbano para o município, influenciaram a configuração atual do t erritório em relação às áreas verdes publicas urbanas na área de estudo.

 

Palavras-chave:Juiz de Fora, áreas verdes, planejamento urbano.

 

 

DO “MISSISSIPI CARIOCA” AO “ESTÁDIO VOADOR”:forjando espaços de legitimação na indiferença

MARCUS CÉSAR MARTINS DA CRUZ

 

Data da Defesa:15/09/2010

 

Orientador:FERNANDA SÁNCHEZ ESTER GARCÍA

 

Resumo:

A presente dissertação inscreve-se no campo de debate dos grandes projetos

urbanos (GPUs), mais difundidas práticas da política de “empresariamento urbano”,

voltadas principalmente, para a promoção internacional da imagem das cidades e

para a “revitalização” de territórios urbanos considerados “degradados”. A análise

aqui desenvolvida, busca ampliar esta discussão a partir do estudo das estruturas

espaciais urbanas legadas por dois grandes projetos, realizados, em momentos

distintos, em um mesmo território formado por alguns bairros do subúrbio ferroviário

da cidade do Rio de Janeiro e que definem o objeto empírico: trecho da via expressa

Linha Amarela (1997) e Estádio Olímpico João Havelange, o “Engenhão” (2007). Na

perspectiva crítica, a pesquisa parte da idéia de que ambas as intervenções teriam

sido orientadas por diversos graus de “indiferença” a este território urbano, por terem

produzidos espaços urbanos ociosos ou “mal aproveitados” que não só parecem ter

contrariado qualquer intenção da ação planejadora em “revitalizá-lo” como também

submeteram grupos locais às condições desfavoráveis para a realização da sua

“vida cotidiana”. Neste contexto, buscou-se identificar sob quais “justificações”

ambos os projetos se legitimaram assim como verificar se há convergências

discursivas que sustentem a análise conjunta das duas obras nesta dissertação,

uma vez que aqui se entende que a implantação do “Engenhão” corresponde a um

caso de reincidência neste mesmo espaço urbano. Ao longo deste trabalho

procurou-se demonstrar que a implantação de grandes projetos urbanos na sua

relação com diversas escalas espaciais pode produzir impactos negativos no espaço

urbano. A escolha do fragmento urbano em questão, para implantação dos dois

projetos, revela uma distribuição desigual destas formas urbanas pela cidade,

acentuando o corte geográfico e de classe da cidade do Rio de Janeiro e,

finalmente, mostra como os discursos que viabilizaram as duas intervenções não

somente deram legitimidade às obras para que efetivamente ocorressem como

também foram portadores de valorações (negativas) e de leituras indiferentes do

espaço urbano herdado.

 

Palavras-chave:grandes projetos urbanos, renovação (urbana), subúrbio

(ferroviário) carioca, valorização do espaço (urbano)

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

 

Resumo:

 

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

Data da Defesa:

 

Orientador:

 

Resumo:

 

Palavras-chave:

 

 

 

Fechar Menu