Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense (PPGAU UFF) tem forte foco na inovação em pesquisa e liderança em temas como a Sustentabilidade Urbana (metabolismo, preservação ambiental, paisagem e ecologias locais, tecnologias para resíduos e energia renovável), Tecnologias Sociais (justiça ambiental, instrumentos redistributivos, mercado imobiliário e acesso ao solo, patrimônio, desenvolvimento sustentável de comunidades e solução do déficit habitacional) e Tecnologias Urbanas (informática urbana, cartografias digitais e sistemas de avaliação da sustentabilidade).

Criado em 2003 com o Curso de Mestrado, passou a desenvolver pesquisas de Doutorado a partir de 2012,  vinculado à Área de concentração Produção e Gestão do Ambiente Urbano. A atuação de seus corpos docente e discente mostra forte interdisciplinaridade a areas como a Geografia, Sociologia e Economia.

O PPGAU UFF desenvolve três linhas de pesquisa:

  1. Espaço construído, Sustentabilidade e Meio Ambiente

Condições de sustentabilidade aplicáveis à gestão e planejamento do meio urbano, sua infraestrutura e suas relações ao ambiente biofísico e seu comportamento. Abordagem ambiental da arquitetura, espaço construído e paisagem.

  1. Projeto, Planejamento e Gestão da Arquitetura e da Cidade

Gestão sustentável do projeto, tecnologias para a produção do edifício; urbanização e economia circular; mercado imobiliário; normas e legislação edilícia e urbanística; políticas urbanas.

  1. Cultura e História da Arquitetura, da Cidade e do Urbanismo

Apropriação social dos espaços construídos no tempo; conservação, proteção e preservação; morfologia da cidade; história da arquitetura, cidades e urbanismo; identidade, produção da imagem e da memória social.

 

Estratégia de Futuro

O Programa orienta sua Estratégia de Futuro na busca de inovação nos seguintes temas:

(1) Cidade e meio-ambiente

. Cidades e edificações como sistemas de suporte à vida.

. Metabolismo urbano: urbanização, funcionamento e fluxos das cidades em conexão ao ambiente biofísico; impactos da cidade na preservação ambiental.

. Paisagem urbana e ecologias locais: geologia, hidrologia, vegetação e clima; sua história natural e cultural.

. Tecnologias para resíduos: sistemas circulares de tratamento e reuso.

. Tecnologias de energia renovável: solar, eólica e biogás; redesenho de estruturas, espaços urbanos e edificações para implementação de sistemas de energia renovável capazes de alimentar cidades e regiões; agricultura urbana e projetos regenerativos.

. Alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS ONU Habitat): cidades e comunidades sustentáveis e resilientes; ação contra a mudança global do clima; consumo e produção responsáveis; energia limpa e acessível.

. Abordagem combinada e transversal dos quatro pilares da sustentabilidade: ambiental, econômica, social e cultural.

(2) Mudanças climáticas e risco ambiental

. Desafios da sustentabilidade urbana: impactos da cidade e da produção arquitetônica sobre o consumo de recursos não-renováveis, emissões de carbono, aquecimento da atmosfera e oceanos e elevação dos mares.

. Impactos das mudanças climáticas sobre a cidade e a vida urbana: aumento da frequência de eventos climáticos extremos; riscos e vulnerabilidades decorrentes de crises sanitárias e epidemias; soluções urbanas sustentáveis e biossegurança.

. Avaliação de riscos: mapeamento de áreas inundáveis, áreas deslizáveis e populações vulneráveis.

. Desenvolvimento de soluções e tecnologias sustentáveis em arquitetura e infraestrutura urbana; descarbonização de cidades e edificações.

. Resiliência urbana no mundo pós-pandemia: o papel das densidades; impactos das novas relações entre trabalho remoto e moradia; redimensionamento e refuncionalização de áreas centrais, dispersão urbana, emergência de novas centralidades, novos padrões arquitetônicos e da habitação.

(3) Desenvolvimento sustentável: cidade e economia circular

. Mudança do paradigma da cidade linear para a cidade circular: extração de materiais, produção, reciclagem, remanufatura, regeneração; minimização de desperdícios: resíduos como recursos; mitigação de externalidades negativas do funcionamento urbano e da economia.

. Redesenho de circuitos espaciais de produção, distribuição e consumo: cadeias internas de produção e trocas intermediárias, finais e circulares na microeconomia.

. Mobilidade sustentável: tecnologias e sistemas de transporte e seus impactos.

. O papel da morfologia: densidades, padrões de localização, acessibilidade e expansão urbana.

(4) Sustentabilidade e cidades inteligentes

. O uso de dados digitais: cidades orientadas por dados (data-driven cities); informática urbana: Big Data, mineração de dados e machine learning; novas ferramentas de simulação, análise e visualização.

. Tecnologias urbanas: sensorização do espaço urbano, tecnologias de monitoramento e avaliação; sistemas de informação geográfica, cartografias digitais e colaborativas.

. Cidade digital (digital twins): modelos e versões computacionais de sistemas urbanos para monitoramento, diagnóstico de problemas e teste de soluções concretas.

. Sistemas de avaliação da sustentabilidade arquitetônica: redução de geração de desperdícios, monitoramento da modularidade e reutilização. Certificações de qualidade ambiental. Análise do ciclo de vida. Análise do desempenho de energia via ferramentas computacionais.

. Sistemas de avaliação da sustentabilidade urbana: sistemas de informação para a resiliência urbana; sistemas de avaliação de desempenho (Planning Support Systems — PSS).

(5) Sustentabilidade e tecnologias sociais

. Sustentabilidade social sob a ótica da justiça ambiental.

. Instrumentos redistributivos, monitoramento do mercado imobiliário, acesso ao solo.

. Patrimônio e desenvolvimento sustentável: a cultura como dimensão da sustentabilidade; arquitetura, patrimônio edificado e otimização do espaço construído.

. Desenvolvimento de tecnologias de monitoramento de serviços urbanos e qualidade de vida: ações cooperativas; assistência técnica à ação bottom-up; desenvolvimento sustentável de comunidades.

. Tecnologias e estratégias para a habitação de interesse social e solução do déficit habitacional.

. Plataformas digitais participativas: planejamento, organização social e potencial democrático.

Linhas > Grupos de Pesquisa > Focos temáticos

 

. Cidades, Processos de Urbanização e Ambiente

. Cidades, Processos de Urbanização e Ambiente

. Laboratório de Conservação de Energia e Conforto Ambiental – LabCECA

. Laboratório da Paisagem e do Lugar – LAPALU

. Geografia Humanista Cultural

. Urbana | Rede de Pesquisa para a Sustentabilidade

. Grandes Projetos de Desenvolvimento Urbano – GPDU

. OPPHUS – Oficina de Projeto e Pesquisa de Habitação e Urbanização Social

. Núcleo de Estudos e Projetos Habitacionais e Urbanos – NEPHU

. Transformação, Intervenção e Gestão do Território – TIGT

. Rede de Cooperação em Urbanismo em Escala Regional, espaços Públicos e Ordenamento Territorial – RCORT

. Análise e Representação da Forma

. Arquitetura da Violência

. Cidade como Documento da História Urbana (CiDHUrb)

. Patrimônio Urbano

 

Objetivos do Programa

(a) Dialogar com os requisitos e áreas prioritárias do MCTI, demonstrando enlaces e articulações virtuosas entre nossas linhas de pesquisa e os temas promovidos, em abordagens que tratem do desenvolvimento sustentável em sua complexidade e multidimensionalidade.

(b) Contribuir para atualizar a pesquisa brasileira frente às urgências da sustentabilidade e mudanças climáticas:

Exploramos as interseções da sustentabilidade, estudos urbanos e tecnologias, visando atender o potencial aberto pelo crescente interesse nas novas abordagens à relação entre cidade, ambiente, novas configurações da economia circular e da bioeconomia e seus circuitos espaciais.

(c) Integrar teoria, método e aplicação na análise da sustentabilidade como fenômeno multidimensional:

Convergimos meios de descrever e analisar o ambiente construído, o ambiente biofísico e comportamentos coletivos, sociais e econômicos, nas cidades, a partir de técnicas na investigação alimentadas por uma diversidade de recursos, da etnografia à nova ciência urbana.

(d) Ampliar a aplicabilidade e impacto social da pesquisa:

Nosso projeto parte da necessidade de ampliação da resiliência das cidades brasileiras. Para tanto, foca na prospecção de abordagens inovadoras, de diagnósticos de estados da estrutura e dinâmica urbanas e suas externalidades, e de soluções voltadas para o desenvolvimento sustentável de comunidades e economias, gerando pesquisas com alto potencial de inovação e impacto social.

(e) Aprofundar o uso de métodos rigorosos:

Reconhecendo tendências internacionais de pesquisa, o Programa busca avançar na exploração e desenvolvimento de métodos em observação aos standards científicos na disciplina quanto à robustez e extensão de estudos empíricos. Buscamos pesquisas capazes de alimentar a teoria e a ação, no amparo a decisões de planejamento e projeto.

(f) Atualizar a pesquisa com o uso de dados e tecnologias de informação:

Estimulamos pesquisas dos caminhos e desafios da sustentabilidade na arquitetura e nas cidades explorando a revolução dos dados digitais e a tendência de suporte em dados intensivos (data-intensive research). 

(g) Conectar saberes e campos disciplinares em novas abordagens, a partir do trabalho em redes de pesquisa nacionais e internacionais, buscando resultados visíveis em uma ampla gama de parcerias e publicações.

 

Coordenação

Doutorado em Advanced Architectural Studies (The Bartlett, University College London | UCL). Pós-Doutorados em Urban Informatics (NYU CUSP, 2019) e Desempenho Urbano (PNPD CAPES, 2009). Publicou mais de 90 artigos e capítulos de livros no Brasil e exterior, incluindo no International Journal of Urban and Regional Research (IJURR), Environment and Planning D (EPD), Urban Design International (UDI), European Journal of Geography (Cybergeo), Complexity e artigo de capa no periódico Entropy.

Autor dos livros The Social Fabric of Cities (Routledge, 2017) e Cidade & Sociedade (2014) e Co-organizador de Efeitos da Arquitetura (2017) e Urbanidades (2012). Guest Speaker, The MIT City Science Summit, City Science Network and University of Guadalajara (October 7th-9th 2020).

Editor Chefe da Revista de Morfologia Urbana (PNUM/ISUF). Editor de Area Development and Policy (ADP) da Regional Studies Association (UK).

 

Telefone: No momento a telefonia do PPGAU encontra-se desativada.

E-mail: parq.tca@id.uff.br

 

 

 

[Atualizado em 11/09/2020]

 

Deixe uma resposta